Condomínios adotam rodízio para falta de água

Condomínios adotam rodízio para falta de água. Síndicos de prédios em São Paulo adotam rodízio. Os cortes noturnos no abastecimento público e a busca por maior economia de água levaram condomínios de São Paulo a adotar o racionamento declarado.  Síndicos de prédios na capital paulista já estão fechando o registro geral dos edifícios durante parte do dia com medo de que falte água nos horários de pico de consumo, como no início da manhã e da noite.

A aposentada Ivete Alves Jean, de 65 anos, síndica de um prédio com 98 apartamentos na Vila Carrão, na zona leste, diz que raciona água nos dias em que o abastecimento demora a retornar.

“Há um mês a gente tem sentido essa redução da água. Desligam às 22 horas e só volta às 9 horas. Quando a gente percebe que demora mais para voltar e o nível da caixa já está muito baixo, comunica os moradores e fecha a água para economizar”, afirma Ivete.

Ela diz que desde o anúncio da crise hídrica paulista, em fevereiro, tem reduzido o gasto com água do condomínio, mas a economia alcançada pelos moradores ainda não chegou aos 20% que garantem o desconto de 30% na conta da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Ivete reduziu a rega do jardim, a lavagem das áreas sociais e até recomendou aos moradores que evitassem dar mergulhos na piscina para que a água saísse para fora e tivesse de ser reposta. “Não vai ter jeito. Semana que vem tem assembleia e vou propor fechar a piscina.

Fonte: Síndico Net